PT EN
Quero Visitar Quero Expor

Todas Notícias Voltar

Metalurgia na web - fontes diversas

Publicado em 24/09/2018 - 10:11  

Thumb post image

A Notícia - Impresso (Joinville-SC)

24/09/2018 00:00:00

CLAUDIO LOETZ
Editoria/Coluna/Seção/Autor: CLAUDIO LOETZ
As empresas joinvilenses estão dando a volta por cima. E, aos poucos, há, também a retomada do nível de emprego. Só a RH Brasil dispõe de 400 vagas de trabalho para auxiliar de produção. A grande maioria dos postos de trabalho é para atender à necessidade de uma única companhia local. O nome dessa indústria não é revelado. Os candidatos devem ter ensino fundamental completo e se apresentar nesta segunda-feira na sede da recrutadora de mão de obra.
O grande volume de vagas se dá, principalmente, para atender às demandas em função da perspectiva concreta de efetiva melhora nos negócios, em especial para o período de fim de ano. Em agosto, a RH Brasil realizou a contratação de mais de 350 trabalhadores temporários para a produção, igualmente para a indústria. Há possibilidade de efetivação. A previsão é de que o comércio também contrate funcionários temporários no próximo trimestre. Na semana passada, a Tupy já havia anunciado 150 novas vagas de trabalho.
A retomada
Este ambiente positivo já se verificou em agosto. Dados do Caged, publicados na sexta-feira, dia 21, revelam que Joinville criou mais 1.065 postos de trabalho no mês passado, o que significa que está, sim, em andamento, processo de recuperação mais consistente das perdas de postos de trabalho ocorrido nos anos do auge da crise econômica.
Também no país, a situação dá alguns sinais de melhora. O mesmo Caged informa terem sido criados 110 mil novos empregos com carteira assinada. O que continua num patamar baixo é o salário médio de admissão pelas empresas brasileiras: R$ 1.541,53.
Balanços
O presidente da Acij, João Martinelli, faz uma avaliação dos negócios das empresas locais. Afirma que os balanços das indústrias virão fortemente positivos.
- As empresas já se ajustaram, com profundo corte de despesas feito durante a crise, nos últimos anos, e agora começam a colher os frutos. Claro que o dólar alto contribui para um resultado favorável das companhias exportadoras. Por isso, é preciso relativizar o discurso pessimista.
Sebrae mapeia oportunidades em Itapoá
O Sebrae fez levantamento de oportunidades de negócios no município de Itapoá. O documento detalha, por meio de uma série de análises, áreas que têm maior potencial de expansão. Denominado Cidade Empreendedora, o programa procura fortalecer o ambiente de negócios, além de apoiar a cultura empreendedora das cidades. Em parceria com o Sebrae, Itapoá desenvolve o planejamento estratégico para a gestão municipal, que tem 65 projetos mapeados. O estudo evidenciou que, com uma população estimada de 19.963 pessoas (dados de 2018) e crescimento anual de 4,8%, segundo o IBGE, Itapoá oferece um forte indicativo para oportunidades nos segmentos de materiais de construção, utilidades domésticas e serviços de apoio para residências. Igualmente é destacado pelo Sebrae que o município desenvolva ações estratégicas para atrair empresas, organizando seu Plano Diretor e elaborando políticas públicas que beneficiem a instalação de unidades fabris.
Outros segmentos
O relatório indica, ainda, que por estar localizada na divisa dos Estados de Santa Catarina e do Paraná, a cidade detém posição estratégica, a qual permite direcionar esforços a mercados específicos, sobretudo empresas exportadoras posicionadas no Norte do Estado e Sul do Paraná, especialmente dos segmentos da agroindústria, madeira, indústria automobilística e eletrometalmecânica.
Conforme dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho e Emprego, referentes a 2015, Itapoá abriga 921 empresas, que juntas são responsáveis por 3.342 empregos. O município possui 1,4% das empresas em atividade do setor primário, 13,5% são empresas industriais, 40,2% dos estabelecimentos são comerciais e 45% empresas são prestadoras de serviços. O setor de prestação de serviços é o que mais emprega no município (64,2%), seguido do de comércio com 26,6% dos empregos. O maior empregador do município é o Porto Itapoá.
Planejamento estratégico
De acordo com o secretário de Desenvolvimento, Indústria e Comércio de Itapoá, Ricardo Matoso, as informações confirmam o entendimento da administração pública de fomentar o desenvolvimento econômico nas áreas de turismo, de logística e de serviços, principalmente. Em parceria com o Sebrae, Itapoá desenvolve o Planejamento Estratégico para a Gestão Municipal (Pegem), que tem 65 projetos mapeados, muitos deles já em ação.
Acima das expectativas
A grande maioria das 120 marcas expositoras da Metalurgia 2018 - Feira e Congresso Internacional de Tecnologia para Fundição, Siderurgia, Forjaria, Alumínio e Serviços, realizada de 18 a 21 de setembro em Joinville, saiu satisfeita. A estimativa de negócios deve ultrapassar os R$ 350 milhões em contratos assinados durante a feira ou de contatos iniciados no evento e que deverão ser consolidados nos próximos 18 meses. 16% deles são presidentes, vice-presidentes, sócios ou diretores; 21% ocupam cargos gerenciais; 50%, funções técnicas; e 13% são estudantes. O maior grupo de visitantes - 25% - vem do segmento de fundição; 10%, do automotivo; e 18%, de engenharia, siderurgia, agrícola e tratamento térmico. A maioria veio em busca de máquinas e equipamentos, seguido de fundições e peças fundidas, automação, controle de processos e medição, fornos e caldeiras.
Combate à pirataria
O Ministério Público de Santa Catarina firmou acordo de cooperação técnica com o Conselho Estadual de Combate à Pirataria - órgão vinculado à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico Sustentável - visando a uma parceria na coordenação de ações de enfrentamento à pirataria no Estado.
O termo prevê a formulação de um plano estadual de prevenção e combate à pirataria, à sonegação fiscal e aos delitos contra a propriedade intelectual e imaterial.
Serão estabelecidos mecanismos para o recebimento de denúncias de pirataria; promover a realização de campanhas educativas, propor ações conjuntas de fiscalização nos portos, aeroportos, postos fiscais, e postos da Polícia Rodoviária em todo o Estado.
Budismo
?Como manter a serenidade em tempos de incerteza??. Esse será o tema da palestra do monge zen-budista Genshô Chalegre no dia 27 de outubro (sábado), às 17 horas. O evento, organizado pelo Zen Budismo Joinville, conta com o apoio da Sustentare Escola de Negócios, onde será realizada a palestra. Monge Genshô tem mais de 40 anos de zen-budismo, sendo hoje o fundador e orientador da comunidade zen Daissen-Ji, com sede em Florianópolis e com quase 30 grupos em prática pelo Brasil e América Latina.
Oscilações
Na sexta-feira, o dólar refluiu para R$ 4,04, o menor valor em um mês. Sinal de melhora no ambiente externo e alguma acomodação no cenário doméstico. O mercado financeiro já está precificando o embate eleitoral. Há poucas semanas, a cotação da moeda norte-americana bateu em R$ 4,20. As oscilações vão continuar, ao menos até o final do resultado das eleições. No rastro do otimismo - precário e momentâneo, é verdade - a Bolsa subiu mais de 5%, na melhor performance desde o primeiro mês do ano.
Têxtil
A Coltex Têxtil, de Joinville, participou de feira têxtil em Paris, onde apresentou nova coleção. Liderada por Valdécio de Oliveira, a companhia está em atividades desde 1989.


CIMM (Florianópolis-SC)

23/09/2018 17:28:46

Metalurgia supera expectativas e deve gerar R$ 350 milhões em negócios
Feira recebe 13 mil visitantes de 17 estados brasileiros e de outros 11 países
Joinville, setembro de 2018 - O clima de satisfação foi geral entre as 120 marcas expositoras da Metalurgia 2018 - Feira e Congresso Internacional de Tecnologia para Fundição, Siderurgia, Forjaria, Alumínio e Serviços, realizada de 18 a 21 de setembro, em Joinville, SC. A estimativa de negócios deve ultrapassar os R$ 350 milhões em contratos assinados durante a feira ou de contatos iniciados no evento e que deverão ser consolidados nos próximos 18 meses, superando a expectativa inicial da organização.
O número de visitantes atingiu a marca de 13 mil pessoas, vindas de 17 estados, de 344 diferentes cidades, abrangendo todas as regiões do país, incluindo representantes da maioria das fundições do Brasil. Além disso, foram registrados visitantes de outros 11 países, três da Europa - Alemanha, Itália e Suíça - e oito das Américas - Argentina, Bolívia, Colômbia, EUA, Equador, México, Paraguai e Uruguai. A qualidade dos visitantes está evidente no perfil identificado no evento. 16% são presidentes, vice, sócios ou diretores, 21% ocupam cargos gerenciais, 50% funções técnicas e 13% estudantes. O maior grupo de visitantes, 25% vem do segmento de fundição, 10% do automotivo e 18% de engenharia, siderurgia, agrícola e tratamento térmico. A maioria veio em busca de máquinas e equipamentos, seguido de fundições e peças fundidas, automação, controle de processos e medição, fornos, caldeiras e tratamento térmico.
Continua depois da publicidade
Richard Spirandelli, diretor da Messe Brasil avalia que o clima entre os expositores é altamente positivo. ?A feira cumpriu o seu papel de relacionamento, negócios e capacitação, consolidando-se como o investimento em marketing B2B mais completo por ser a ferramenta que gera mais credibilidade nas negociações. Nada substitui o face a face?, argumenta.
O presidente da ABIFA - Associação Brasileira da Fundição, Afonso Gonzaga, reforça a importância das empresas se posicionarem em feiras de negócio. ?É um indutor de desenvolvimento, gestão, inovação e tecnologia, pois possibilita as empresas investirem na inovação tecnológica dos parques fabris?, destaca. Gonzaga lembra que o setor tem uma significativa participação no desenvolvimento do país, por agregar 64 mil empresas e acumular um faturamento anual de 6,5 bilhões de dólares. ?O momento do mercado sinaliza um crescimento de 6,5% em volume de produção em 2018, em comparação a 2017?, acrescenta.
Para os expositores, a feira trouxe o retorno esperada e, na maioria das vezes, foi até superior. Mário Di Caterina, diretor da Deumex, diz que a Metalurgia surpreendeu pela qualidade do público. ?São profissionais focados em processos, equipamentos e negócios. Conseguimos contatar pelo menos cinco possibilidades de negócios em curto prazo?, aposta.
Benedito Catneiro, diretor da norte-americana LECO, que já foi expositor da Metalurgia, veio para especular o ambiente do evento e avaliar a possibilidade de voltar a expor na próxima ediçãoem 2020s. ?Encontrei empresa de ponta e de qualidade o que deve nos motivar a retornar como expositores?, conclui.
Fernando Mauri, gerente da Inductotherm, a líder mundial em aquecimento por indução, pondera a melhora do evento em relação à edição de 2016. ?É um reflexo de que o mercado está aquecendo e que teremos boas oportunidades de negócio nos próximos meses. Além disso, ficamos satisfeitos com a qualidade técnica do público, que visita o evento com objetivos claros, busca por inovação, tecnologia e foco em negócios?, reforça.
Fred Ziegler, diretor da Ztech, recebeu um público qualificado desde o primeiro dia. ?São profissionais com interesse em inovações e estamos /na expectativa de consolidar grandes negócios pós-feira, considerando a procura por inovação e a qualidade dos profissionais que nos visitaram?, avalia.
Eventos simultâneos com foco em profissionalização
Pela primeira vez a Metalurgia contou com programação de workshops técnicos sobre inovações e tecnologias para o setor, apresentados por expositores. Foram 16 palestras gratuitas que contaram com a participação de 480 profissionais.
O Espaço Portal do Aquecimento Industrial, integrado à feira, abordou assuntos relacionados à indústria 4.0, aquecimento industrial e tecnologias voltadas às fundições. Foram 18 palestras gratuitas que reuniram 285 pessoas na feira, além dos que acompanharam a transmissão online.
O palestrante Bruno Marques Macedo, gerente técnico da Contemp, observou que foi uma oportunidade para os clientes esclarecerem as dúvidas sobre processos de tratamento térmico. ?O público trouxe novas ideias e demandas de produtos que podem ser desenvolvidos?, completa. Juntos, os workshops e palestras gratuitas somaram 36 horas de capacitação.
Um dos temas mais comentados atualmente no meio industrial, em todo o mundo, esteve no debate central do CINTEC 2018 Fundição. As 12 palestras e minicursos foram contemplados 560 profissionais.
Rodada de Negócios
A Rodada de Negócios realizada durante a feira, ampliou a possibilidade de consolidar parcerias e contratos. Foram promovidas 275 reuniões de negócios entre empresários que demandam e ofertam produtos e serviços, com a participação de 84 pessoas. Na mesa de negociações participaram oito empresas compradoras, incluindo as grandes fundições da região - Tupy, Embraco, Schulz Automotive, LS Tractor, ArcelorMittal, Ciser, Fremax e Marcopolo - e 39 fornecedores. Durante o evento foram consolidados R$ 3,65 milhões em negócios, o que deve ser ampliado para R$ 18 milhões nos próximos seis meses.
Rafael Kozoski, da KNX Alumínio, participou pela primeira vez da rodada e avalia a oportunidade como muito produtiva para os fornecedores. ?Fazemos o contato direto com o comprador. O caminho é encurtado porque chegamos na pessoa certa. Estou animado com as possibilidades de negócios?, acrescenta.
Gustavo Zattar, da área de Suprimentos Indiretos da Embraco, avaliou boas oportunidades em microfundidos e processos químicos. ?Foi produtivo para conhecer novos fornecedores e opções inovadoras de produtos no mercado?, reforça.
Sobre a Metalurgia
Realizada a cada dois anos, a 11ª edição a Metalurgia reuniu 120 expositores vindos de 39 diferentes cidades do Brasil, além da China, Espanha, Itália e Alemanha, que ocupam área de 8.000 m² de exposição no Centro de Convenções e Exposições Expoville. Organizada pela Messe Brasil, a Metalurgia é uma realização da ABIFA (Associação Brasileira da Fundição) e têm o apoio da ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), da ABIMEI (Associação Brasileira dos Importadores de Máquinas e Equipamentos Industriais), do ICZ (Instituto Brasileiro de Metais Não Ferrosos), da Sociedade Brasileira de Metrologia e da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). A Metalurgia 2020 já tem data e será realizada de 15 a 18 de setembro.


NSC Total (Florianópolis e Joinville-SC)

24/09/2018 00:00:00

Feira Metalurgia encerra com expectativas superadas


Feira Metalurgia encerra com expectativas superadas
Compartilhe
24/09/2018 - 04h00 - Atualizada em: 24/09/2018 - 04h00
Feira Metalurgia
Divulgação
)
A maioria das 120 marcas expositoras da Metalurgia 2018 - Feira e Congresso Internacional de Tecnologia para Fundição, Siderurgia, Forjaria, Alumínio e Serviços, realizada de 18 a 21 de setembro em Joinville, saiu satisfeita. A estimativa de negócios deve ultrapassar os R$ 350 milhões em contratos assinados durante a feira ou de contatos iniciados no evento e que deverão ser consolidados nos próximos 18 meses. 16% deles são presidentes, vice-presidentes, sócios ou diretores; 21% ocupam cargos gerenciais; 50%, funções técnicas; e 13% são estudantes. O maior grupo de visitantes - 25% - vem do segmento de fundição; 10%, do automotivo; e 18%, de engenharia, siderurgia, agrícola e tratamento térmico. A maioria veio em busca de máquinas e equipamentos, seguido de fundições e peças fundidas, automação, controle de processos e medição, fornos e caldeiras.
Balanços
O presidente da Acij, João Martinelli, faz uma avaliação dos negócios das empresas locais. Afirma que os balanços das indústrias virão fortemente positivos.
- As empresas já se ajustaram, com profundo corte de despesas feito durante a crise, nos últimos anos, e agora começam a colher os frutos. Claro que o dólar alto contribui para um resultado favorável das companhias exportadoras. Por isso, é preciso relativizar o discurso pessimista.
Sebrae mapeia oportunidades em Itapoá
O Sebrae fez levantamento de oportunidades de negócios no município de Itapoá. O documento detalha, por meio de uma série de análises, áreas que têm maior potencial de expansão. Denominado Cidade Empreendedora, o programa procura fortalecer o ambiente de negócios, além de apoiar a cultura empreendedora das cidades. Em parceria com o Sebrae, Itapoá desenvolve o planejamento estratégico para a gestão municipal, que tem 65 projetos mapeados.
O estudo evidenciou que, com uma população estimada de 19.963 pessoas (dados de 2018) e crescimento anual de 4,8%, segundo o IBGE, Itapoá oferece um forte indicativo para oportunidades nos segmentos de materiais de construção, utilidades domésticas e serviços de apoio para residências. Igualmente é destacado pelo Sebrae que o município desenvolva ações estratégicas para atrair empresas, organizando seu Plano Diretor e elaborando políticas públicas que beneficiem a instalação de unidades fabris.
Outros segmentos
O relatório indica, ainda, que por estar localizada na divisa dos Estados de Santa Catarina e do Paraná, a cidade detém posição estratégica, a qual permite direcionar esforços a mercados específicos, sobretudo empresas exportadoras posicionadas no Norte do Estado e Sul do Paraná, especialmente dos segmentos da agroindústria, madeira, indústria automobilística e eletrometalmecânica.
Conforme dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho e Emprego, referentes a 2015, Itapoá abriga 921 empresas, que juntas são responsáveis por 3.342 empregos. O município possui 1,4% das empresas em atividade do setor primário, 13,5% são empresas industriais, 40,2% dos estabelecimentos são comerciais e 45% empresas são prestadoras de serviços. O setor de prestação de serviços é o que mais emprega no município (64,2%), seguido do de comércio com 26,6% dos empregos. O maior empregador do município é o Porto Itapoá.
Planejamento estratégico
De acordo com o secretário de Desenvolvimento, Indústria e Comércio de Itapoá, Ricardo Matoso, as informações confirmam o entendimento da administração pública de fomentar o desenvolvimento econômico nas áreas de turismo, de logística e de serviços, principalmente. Em parceria com o Sebrae, Itapoá desenvolve o Planejamento Estratégico para a Gestão Municipal (Pegem), que tem 65 projetos mapeados, muitos deles já em ação.
Combate à pirataria
O Ministério Público de Santa Catarina firmou acordo de cooperação técnica com o Conselho Estadual de Combate à Pirataria - órgão vinculado à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico Sustentável - visando a uma parceria na coordenação de ações de enfrentamento à pirataria no Estado.
O termo prevê a formulação de um plano estadual de prevenção e combate à pirataria, à sonegação fiscal e aos delitos contra a propriedade intelectual e imaterial.
Serão estabelecidos mecanismos para o recebimento de denúncias de pirataria; promover a realização de campanhas educativas, propor ações conjuntas de fiscalização nos portos, aeroportos, postos fiscais, e postos da Polícia Rodoviária em todo o Estado.


O Mirante (Joinville-SC)

23/09/2018 23:39:41

Feira supera expectativas e deve gerar R$ 350 milhões em negócios
Editoria/Coluna/Seção/Autor: O Mirante
Realizada durante a última semana, de 18 a 21 de setembro, na Expoville, a Feira e Congresso Internacional de Tecnologia para Fundição, Siderurgia, Forjaria, Alumínio e Serviços, a Metalurgia 2018, foi considerada um sucesso pelas 120 marcas expositoras. Segundo a organização, a estimativa de negócios deve ultrapassar os R$ 350 milhões em contratos assinados durante a feira ou de contatos iniciados no evento e que deverão ser consolidados nos próximos 18 meses.
O número de visitantes atingiu a marca de 13 mil pessoas, vindas de 17 estados e 344 diferentes cidades de todas as regiões do país, incluindo representantes da maioria das fundições do Brasil. Além disso, foram registrados visitantes de outros 11 países: Alemanha, Itália, Suíça, Argentina, Bolívia, Colômbia, EUA, Equador, México, Paraguai e Uruguai.
?A feira cumpriu o seu papel de relacionamento, negócios e capacitação, consolidando-se como o investimento em marketing B2B mais completo por ser a ferramenta que gera mais credibilidade nas negociações. Nada substitui o face a face?, argumenta Richard Spirandelli, diretor da Messe Brasil, organizadora do evento.
Para o presidente da Associação Brasileira da Fundição (Abifa), Afonso Gonzaga, o setor tem uma significativa participação no desenvolvimento do país, por agregar 64 mil empresas e acumular um faturamento anual de 6,5 bilhões de dólares. ?O momento do mercado sinaliza um crescimento de 6,5% em volume de produção em 2018, em comparação a 2017?, acrescenta.
Rodada de Negócios
A Rodada de Negócios, realizada durante a feira, ampliou a possibilidade de consolidar parcerias e contratos. Foram promovidas 275 reuniões de negócios entre empresários que demandam e ofertam produtos e serviços, com a participação de 84 pessoas.
Na mesa de negociações participaram oito empresas compradoras, incluindo as grandes fundições da região - Tupy, Embraco, Schulz Automotive, LS Tractor, ArcelorMittal, Ciser, Fremax e Marcopolo - e 39 fornecedores. Durante o evento foram consolidados R$ 3,65 milhões em negócios, o que deve ser ampliado para R$ 18 milhões nos próximos seis meses.
Rafael Kozoski, da KNX Alumínio, participou pela primeira vez da rodada e avalia a oportunidade como muito produtiva para os fornecedores. ?Fazemos o contato direto com o comprador. O caminho é encurtado porque chegamos na pessoa certa. Estou animado com as possibilidades de negócios?, acrescenta.
Gustavo Zattar, da área de Suprimentos Indiretos da Embraco, avaliou boas oportunidades em microfundidos e processos químicos. ?Foi produtivo para conhecer novos fornecedores e opções inovadoras de produtos no mercado?, reforça.
Edição: Felipe Silveira
Foto: Christophe de Lima/Assessoria
Informações: Assessoria
O conteúdo Feira supera expectativas e deve gerar R$ 350 milhões em negócios aparece primeiro em O Mirante.