PT EN
Quero Visitar Quero Expor

Todas Notícias Voltar

Metalurgia na web - Ipesi

Publicado em 25/09/2018 - 17:46  

Thumb post image

Ipesi (São Paulo-SP)

25/09/2018 00:00:00

Ipesi
O clima de satisfação foi geral entre as 120 marcas expositoras da Metalurgia 2018-Feira e Congresso Internacional de Tecnologia para Fundição, Siderurgia, Forjaria, Alumínio e Serviços, realizada de 18 a 21 de setembro, em Joinville (SC). A estimativa de negócios deve ultrapassar os R$ 350 milhões em contratos assinados durante a feira ou de contatos iniciados no evento e que deverão ser consolidados nos próximos 18 meses, superando a expectativa inicial da organização.
O número de visitantes atingiu a marca de 13 mil pessoas, vindas de 17 estados, de 344 diferentes cidades, abrangendo todas as regiões do país, incluindo representantes da maioria das fundições do Brasil. Além disso, foram registrados visitantes de outros 11 países, três da Europa - Alemanha, Itália e Suíça - e oito das Américas - Argentina, Bolívia, Colômbia, EUA, Equador, México, Paraguai e Uruguai.
A qualidade dos visitantes está evidente no perfil identificado no evento. 16% são presidentes, vice, sócios ou diretores, 21% ocupam cargos gerenciais, 50% funções técnicas e 13% estudantes. O maior grupo de visitantes, 25% vem do segmento de fundição, 10% do automotivo e 18% de engenharia, siderurgia, agrícola e tratamento térmico. A maioria veio em busca de máquinas e equipamentos, seguido de fundições e peças fundidas, automação, controle de processos e medição, fornos, caldeiras e tratamento térmico.
Richard Spirandelli, diretor da Messe Brasil avalia que o clima entre os expositores é altamente positivo. "A feira cumpriu o seu papel de relacionamento, negócios e capacitação, consolidando-se como o investimento em marketing B2B mais completo por ser a ferramenta que gera mais credibilidade nas negociações. Nada substitui o face a face", argumenta.
O presidente da Abifa - Associação Brasileira da Fundição, Afonso Gonzaga, reforça a importância das empresas se posicionarem em feiras de negócio. "É um indutor de desenvolvimento, gestão, inovação e tecnologia, pois possibilita as empresas investirem na inovação tecnológica dos parques fabris", destaca. Gonzaga lembra que o setor tem uma significativa participação no desenvolvimento do país, por agregar 64 mil empresas e acumular um faturamento anual de 6,5 bilhões de dólares. "O momento do mercado sinaliza um crescimento de 6,5% em volume de produção em 2018, em comparação a 2017", acrescenta.
Para os expositores, a feira trouxe o retorno esperado e, na maioria das vezes, foi até superior. Mário Di Caterina, diretor da Deumex, diz que a Metalurgia surpreendeu pela qualidade do público. "São profissionais focados em processos, equipamentos e negócios. Conseguimos contatar pelo menos cinco possibilidades de negócios em curto prazo", aposta.
Benedito Catneiro, diretor da norte-americana Leco, que já foi expositor da Metalurgia, veio para especular o ambiente do evento e avaliar a possibilidade de voltar a expor na próxima edição em 2020. "Encontrei empresa de ponta e de qualidade o que deve nos motivar a retornar como expositores", conclui.
Fernando Mauri, gerente da Inductotherm, a líder mundial em aquecimento por indução, pondera a melhora do evento em relação à edição de 2016. "É um reflexo de que o mercado está aquecendo e que teremos boas oportunidades de negócio nos próximos meses. Além disso, ficamos satisfeitos com a qualidade técnica do público, que visita o evento com objetivos claros, busca por inovação, tecnologia e foco em negócios", reforça.
Fred Ziegler, diretor da Ztech, recebeu um público qualificado desde o primeiro dia. "São profissionais com interesse em inovações e estamos na expectativa de consolidar grandes negócios pós-feira, considerando a procura por inovação e a qualidade dos profissionais que nos visitaram", avalia.
EVENTOS SIMULTÂNEOS - Pela primeira vez a Metalurgia contou com programação de workshops técnicos sobre inovações e tecnologias para o setor, apresentados por expositores. Foram 16 palestras gratuitas que contaram com a participação de 480 profissionais.
O Espaço Portal do Aquecimento Industrial, integrado à feira, abordou assuntos relacionados à indústria 4.0, aquecimento industrial e tecnologias voltadas às fundições. Foram 18 palestras gratuitas que reuniram 285 pessoas na feira, além dos que acompanharam a transmissão online.
O palestrante Bruno Marques Macedo, gerente técnico da Contemp, observou que foi uma oportunidade para os clientes esclarecerem as dúvidas sobre processos de tratamento térmico.
"O público trouxe novas ideias e demandas de produtos que podem ser desenvolvidos", completa. Juntos, os workshops e palestras gratuitas somaram 36 horas de capacitação.
Um dos temas mais comentados atualmente no meio industrial, em todo o mundo, esteve no debate central do Cintec 2018 Fundição. As 12 palestras e minicursos foram contemplados 560 profissionais.
RODADA DE NEGÓCIOS - A Rodada de Negócios realizada durante a feira ampliou a possibilidade de consolidar parcerias e contratos. Foram promovidas 275 reuniões de negócios entre empresários que demandam e ofertam produtos e serviços, com a participação de 84 pessoas. Na mesa de negociações participaram oito empresas compradoras, incluindo as grandes fundições da região - Tupy, Embraco, Schulz Automotive, LS Tractor, ArcelorMittal, Ciser, Fremax e Marcopolo - e 39 fornecedores. Durante o evento foram consolidados R$ 3,65 milhões em negócios, o que deve ser ampliado para R$ 18 milhões nos próximos seis meses.
Rafael Kozoski, da KNX Alumínio, participou pela primeira vez da rodada e avalia a oportunidade como muito produtiva para os fornecedores. "Fazemos o contato direto com o comprador. O caminho é encurtado porque chegamos na pessoa certa. Estou animado com as possibilidades de negócios", acrescenta.
Gustavo Zattar, da área de Suprimentos Indiretos da Embraco, avaliou boas oportunidades em microfundidos e processos químicos. "Foi produtivo para conhecer novos fornecedores e opções inovadoras de produtos no mercado", reforça.